min para ler
11 de Julho, 2022

Negócios Artigo

Qual é o cenário de investimentos em energias renováveis no Brasil?

Investimentos em energias renováveis

Por Janael Pinheiro, engenheiro de Software no CESAR

A transição energética de fontes fósseis para renováveis encontra-se em plena aceleração, motivada por diversos fatores, como impactos do aquecimento global e conscientização dos efeitos nocivos de energias fósseis. Essa mudança de comportamento em relação à geração de energia conduz as organizações geradoras em direção a uma postura mais sustentável, estratégica e com responsabilidade social (ESG, do inglês, Environmental, Social, and Corporate Governance). A transformação da matriz energética global e nacional exige investimentos massivos e de longo prazo em fontes renováveis. Este texto discute as principais energias renováveis e os investimentos que estão sendo realizados ou planejados.

Contextualizando: o que são energias fósseis?

As fontes de energias fósseis mais utilizadas são petróleo, carvão mineral e gás natural. Estes recursos naturais foram formados há milhões de anos, através do acúmulo de matéria orgânica sob condições específicas de temperatura e pressão. A descoberta do potencial energético destes recursos revolucionou a história da humanidade. Por exemplo, o desenvolvimento de subprodutos do petróleo permitiu a substituição do óleo de baleia na iluminação pública, de forma a desacelerar a matança desses animais. Em várias regiões do planeta Terra, fontes de energias fósseis representam a distinção entre vida e morte. Por exemplo, em países com regimes severos de inverno, o gás natural é vital para suprir aquecedores. 

Apesar da importância inegável das fontes de energia fóssil na sociedade contemporânea, as mesmas introduzem impactos ambientais imensuráveis. A conscientização sobre os problemas gerados por fontes fósseis, acarretou no desenvolvimento de fontes de energias renováveis, que são favoráveis ao meio ambiente e virtualmente inesgotáveis, desde que corretamente gerenciadas. A transição energética de fontes fósseis para renováveis encontra-se em franca expansão e demandam amplos investimentos. 

O que são energias renováveis?

As fontes de energias renováveis são consideradas inesgotáveis, pois suas quantidades podem ser renovadas continuamente. Algumas dessas fontes apresentam variações na geração de energia a depender de diferentes fatores, como período do dia, ano ou condições climáticas. Por exemplo, a energia solar depende da luz solar, logo, é ineficiente durante a noite. Por sua vez, a energia eólica requer a presença de ventos com intensidade adequada.

Tipos de energias renováveis

 

Fonte: KL Engenharia

O Brasil é uma referência na produção de energia renovável, especialmente devido ao aproveitamento das águas dos rios para geração de energia hídrica. As hidrelétricas transformam a energia da água em energia elétrica. Esse tipo de energia está muito suscetível às oscilações nas temporadas chuvosas nas cabeceiras dos rios. Para mitigar os riscos hídricos, algumas usinas são construídas em conjunto com reservatórios para acumulação de água. 

Além da hídrica, outras fontes de energias renováveis são descritas a seguir:

  • Bioeletricidade: energia elétrica gerada através da queima de biomassa em usinas, de origem vegetal e animal, em que a cana de açúcar é a fonte mais utilizada;
  • Biogás e biometano: produzido a partir da decomposição de matéria orgânica, que libera gases, especialmente metano; 
  • Fotovoltaica: painéis solares convertem a energia solar em eletricidade;
  • Eólica: são aproveitadas as massas de ar para gerar energia.
  • Biomassa: matéria vegetal e orgânica, como bagaço de cana, cavaco de madeira restos de animais, produzem gases que são convertidos em energia;

Além de contribuírem para uma matriz energética mais limpa, as energias renováveis baseadas em biomassa são importantes para o reaproveitamento da matéria vegetal e animal. Por exemplo, restos de animais são utilizados na produção de energia. 

Fonte: OAK Energia

A energia hídrica, por sua vez, está suscetível a influência de estiagem. A bioenergia gerada a partir da biomassa, como bagaço de cana, depende da safra da cana de açúcar. De acordo com a EPE (Empresa de Pesquisa Energética), os períodos da safra de cana são complementares aos períodos de estiagem, que influenciam negativamente a geração de energia hídrica.

Dessa forma, quando as fontes hídricas encontram-se com menor disponibilidade, há maior oferta de energia produzida a partir da cana de açúcar. Por isso, apesar de inesgotáveis, as energias renováveis exigem um uso consciente e meticuloso. 

Investimentos em energias renováveis em diferentes setores

A matriz energética brasileira é bastante diversificada, com uma participação significativa de fontes renováveis, especialmente a energia de origem hídrica. Ainda assim, tanto o poder público quanto a iniciativa privada reforçaram os investimentos em energias renováveis em anos recentes. A demanda da sociedade por energias renováveis e limpas influenciam as organizações a investirem neste tipo de energia. As vantagens e desvantagens do investimento neste tipo de energia são discutidas abaixo.

Vantagens

A longo prazo, as fontes renováveis tendem a mostrar-se um investimento vantajoso. Como o próprio nome indica, a produção deste tipo de energia é inesgotável, ao contrário de poços de petróleo e gás ou jazidas de carvão mineral, por exemplo. Desta forma, um empreendimento em energia renovável tende a apresentar maior longevidade que a sua contra parte fóssil.

Devido à sua natureza de energia limpa, as fontes renováveis emitem menos gases poluentes que as fósseis, o que potencializa a preservação do meio ambiente e melhora a qualidade de vida da humanidade e demais seres vivos. Os investimentos em fontes renováveis contribuem para reduzir a dependência do petróleo na matriz energética e aumentar a estabilidade econômica e social das nações.

A biomassa, uma importante fonte de energia renovável, também contribui para o aproveitamento de dejetos vegetais e animais. Através de processos e técnicas específicas, os restos de animais e vegetais tornam-se energia limpa e renovável. Portanto, a energia proveniente da biomassa contribui para tornar a sociedade mais sustentável.

Desvantagens

Os investimentos em energias renováveis possuem um risco maior que fontes fósseis, em que há maior previsibilidade do retorno dos investimentos. Também contam contra as energias renováveis o fator climático, que influencia diretamente muitas das fontes renováveis, como solar, eólica e biomassa.

Tipicamente, a produção de energia renovável ainda é ineficiente comparada às fontes fósseis. Os custos de adotar este tipo de energia também são elevados. Por exemplo, a instalação de painéis solares é proibitiva em muitas regiões devido aos custos elevados. Esses custos substanciais induzem governos a subsidiar fontes de energia renovável para viabilizar a sua adoção no curto prazo, o que produz encargos para toda a sociedade. 

Mesmo que a energia produzida seja limpa, a manufatura dos dispositivos que a geram introduz gases poluentes no ambiente. Por exemplo, carros elétricos também são fonte de poluição, ainda que menos que os seus pares movidos à combustão.

Qual são os principais números no Brasil?

No Brasil existem investimentos significativos em execução e anunciados. Em energia eólica, estão em discussão projetos e leis para incentivar a produção offshore (em águas oceânicas). Para a geração de energia fotovoltaica, projetos significativos estão em andamento em diferentes regiões do país, com destaque para o nordeste devido à sua vantagem geográfica e disponibilidade de luz solar ao longo do ano. Somente o 36° leilão  de energia nova de 2022 realizado pela ANEEL e CCEE atraiu aproximadamente R$ 7 bilhões em investimentos em energia renováveis, distribuídos da seguinte forma:

  • Térmica (biomassa): R$ 3.974.364.150,00;
  • Eólica: R$ 1.306.881.250,00;
  • Hidrelétrica: R$ 1.065.109.180,00;
  • Solar: R$ 687.289.520,00.

Além da energia contratada para o SIN (Sistema Interligado Nacional), através de leilões da ANEEL, instituições privadas também investem valores expressivos, incentivadas pelas oportunidades da geração de energia distribuída. A empresa Swift, parte do conglomerado JBS, investiu inicialmente R$ 150 milhões para adotar energia solar em toda a sua rede de lojas no Brasil. Ainda no grupo JBS, as fontes renováveis representam 80% da energia elétrica consumida.

Recentemente, a cearense M. Dias Branco anunciou uma parceria com a Omega para contratação de energia solar. Em um anúncio de suas metas ESG (do inglês, Environmental, Social, and Corporate Governance), a M. Dias Branco estipulou como meta 90% do seu consumo proveniente de energia solar até 2030. 

A petroquímica Unipar anunciou um investimento da ordem de R$ 2 bilhões em parques solares nos estados do Rio Grande do Norte, Minas Gerais e Bahia, com o intuito de produzir a energia consumida em suas plantas industriais. A meta da Unipar consiste em suprir 80% de sua necessidade energética a partir de fontes renováveis e limpas até 2025. 

A Dasa, conglomerado do setor de saúde, construirá 17 usinas solares ao longo de 2022 para atender as suas unidades em diferentes regiões do Brasil. Por fim, recentemente, um investimento da ordem de R$ 100 milhões foi anunciado pela Marquise e MDC para produção de biometano em Manaus. 

Além dos investimentos realizados por empresas de diferentes setores, o Brasil abriga uma das maiores companhias em bioenergia do mundo, a Raízen. A Raízen é referência mundial na produção de energia a partir de fontes renováveis, como a biomassa proveniente da cana de açúcar. Também são produzidos Etanol de primeira e segunda geração a partir da cana de açúcar. 

O Etanol de segunda geração é um resultado do aproveitamento do bagaço da produção de açúcar e Etanol de primeira geração. A Raízen é a única organização no mundo a produzir Etanol de segunda geração em escala comercial. Também é produzido o biogás, equivalente ao gás natural, com a vantagem de ser renovável e uma energia limpa, que pode ser convertido em eletricidade. 

O futuro é verde

Apesar da sua importância para o desenvolvimento da sociedade, as fontes de energias fósseis causam impactos significativos e potencialmente irreversíveis para o meio ambiente. A substituição destas fontes de energias por alternativas renováveis e limpas constitui um imperativo. As fontes de energia renováveis são uma opção mais sustentável para o desenvolvimento humano. 

Os investimentos em energias renováveis estão ganhando cada vez mais relevância e serão intensificados nos próximos anos. Pesquisas e desenvolvimentos de novas fontes alternativas de energia estão em franca expansão. Oportunidades não faltarão na área de energias renováveis. 

O CESAR é apto a atuar em projetos com recursos da Agência Nacional de Energia Elétrica e da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis, tendo respaldo para cumprimento das exigências necessárias de execução e controle de projetos que visam promover e viabilizar o ciclo completo da cadeia de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I).

Para entender como o CESAR pode ser o parceiro da sua empresa na cocriação de processos e soluções inteligentes, visite a nossa página voltada para o setor energético.

Comentar