min para ler
01 de Junho, 2022

Negócios Mídia

Globo: construção de um programa de residência para desenvolvedores

Programa de residência

Com a contínua necessidade de atração e contratação de profissionais de tecnologia, em 2021 a Globo procurou o CESAR para desenvolver um programa de residência voltado para treinamento e contratação de desenvolvedores. Os desafios vividos pela empresa são comuns ao mercado, que passa por um cenário de escassez de profissionais no setor de tecnologia da informação.
Assim, com o objetivo de minimizar os impactos do apagão de mão de obra em TI, se tornou essencial que organizações comecem a pensar em formação como solução. Cada vez mais empresas se tornam escolas e passam a atuar na capacitação e desenvolvimento de colaboradores ou profissionais do mercado.

A própria Globo já desenvolve diferentes projetos formativos, como programas de estágio, treinamentos para colaboradores e ações de migração entre áreas, internamente. Com o programa de residência desenvolvido em parceria com o CESAR, o foco era um pouco diferente: acelerar pessoas que  tivessem um conhecimento inicial ou já estivessem inseridas no mercado de trabalho, para que entrassem mais preparadas para as demandas da empresa.

“A gente entende que, para dar conta dessas vagas, desse déficit do mercado, é essencial pensar em formação. E um programa de residência traz a possibilidade de a empresa fazer seu papel no desenvolvimento de pessoas” - Natasha Geraldo, gerente de Recursos Humanos da Globo.

Seleção e trilha de formação

O programa desenvolvido por CESAR e Globo começou com a seleção dos participantes: mais de 4 mil candidatos se inscreveram para as 40 vagas. O perfil determinado pela empresa era de profissionais nível pleno ou juniores mais avançados. Além disso, diversidade foi outro fator importante para a empresa apostar no programa, que tinha o objetivo de formar uma turma composta por 50% de mulheres e pessoas negras.

A trilha de formação, que teve início em janeiro de 2022, foi personalizada para as demandas da empresa, com um conteúdo planejado e desenvolvido entre CESAR e Globo, por um time técnico. A ementa contou com uma primeira parte de nivelamento, com temas como cultura DevOps, cultura ágil, gerenciamento, GitHub e elementos da estrutura da programação. Em seguida, vieram percursos específicos para as linguagens de programação – a Globo demandou uma formação full stack, ou seja, tanto em back-end quanto em front-end.

As formações da residência tiveram o apoio da CESAR School, dando toda a estrutura e suporte necessários. Os treinamentos foram ministrados por facilitadores – professores e profissionais que atuam no mercado e no CESAR – e esse trabalho foi acompanhado ainda por um time de monitores, composto por alunos da School.

Alunos engajados em atividades práticas

Outro módulo do programa, associado à trilha de formação foi o de desafios reais, em que os alunos resolveram problemas que de fato existem na Globo. Assim, as formações da residência foram muito práticas, acompanhadas do olhar de professores envolvidos em projetos de ponta em inovação, com a orientação e o olhar pedagógico da CESAR School. Isso significa que se um dos alunos for contratado pela empresa, já vai ter aprendido sobre a empresa e sobre questões que realmente acontecem ou vão acontecer no dia a dia, não só a teoria.

Além disso, foi realizado um ciclo de performance: todo o processo foi realizado com o acompanhamento individual dos alunos, que fizeram autoavaliações ao início e final da jornada, assim como foram avaliados pelos professores. Os objetivos desse acompanhamento mais próximo foram garantir maior envolvimento da turma, reduzir a evasão e ampliar o crescimento de cada participante.

“Desenvolver um ambiente de acolhimento e confiança faz toda a diferença em um programa como esse. Mantê-los engajados, motivados e crescendo é uma vitória muito grande para o CESAR, para a Globo e para empresas que estão nessa busca por profissionais qualificados em tecnologia” - Cristiane Sanches, project manager do CESAR, responsável pelo projeto da Globo.

Senioridade, diversidade e formação remota: aprendizados

Acelerar profissionais para se formarem plenos e seniores não é tarefa fácil – e foi um dos aprendizados do programa de residência desenvolvido junto à Globo. A senioridade precisa de tempo e está ligada à vivência no mercado e à rotina diária, com problemas e situações do dia a dia. Apesar disso, os resultados com a formação foram positivos: os alunos apresentaram desenvolvimento técnico, de competências e de habilidades; se tornaram mais confiantes e ampliaram ou transformaram a visão que tinham da área. A abordagem baseada na resolução de problemas reais da empresa contribuiu para acelerar a construção de conhecimento.

Ter diversidade também não é simples, mesmo quando há muita vontade. A seleção conseguiu trazer mais diversidade ao programa, mas a permanência das mulheres se mostrou um desafio – com uma maior taxa de desistência associada, por exemplo, a relatos sobre o trabalho de cuidado em suas casas. Por isso, o foco em acolhimento e acompanhamento individual se mostrou tão importante no processo.

Por fim, um dos grandes aprendizados e ganhos com a construção do projeto foi redesenhar e consolidar a residência em formato remoto online. A possibilidade de conduzir esse tipo de formação à distância amplia as possibilidades de participação e ganhos com diversidade. Quando um programa desses é presencial, se torna muito limitado geograficamente; e o programa da Globo, por ser remoto, trouxe casos incríveis de alunos de diversos pontos do Brasil, que foram formados e podem entrar para uma grande empresa – que tem o potencial de abrir ainda mais o horizonte profissional dessas pessoas.

“A formação remota não é simples, veio acompanhada de muito aprendizado, com pessoas de todos os locais do Brasil, e a vida acontece enquanto a formação acontece. Mas eu acho que foi um sucesso: a gente teve 32 concluintes dos 40 que entraram. Temos vontade de ter mais turmas e estamos discutindo essa possibilidade” - Natasha Geraldo, gerente de Recursos Humanos da Globo.

 

O CESAR atua promovendo a transformação digital das empresas por meio de programas de Educação Corporativa como a Residência em TI. Também oferecemos outras soluções voltadas para a atração, desenvolvimento e retenção de mão de obra necessária para a inovação tecnológica no país.

Achou interessante e deseja o apoio do CESAR para desenhar um programa de educação corporativa para a sua empresa?

 Entre em contato com a gente e fale com um consultor.

 


 

Comentar