A importância de um olhar holístico para os projetos de inovação

A importância de um olhar holístico para os projetos de inovação

Por: Priscila Alcântara / Designer de Interação no CESAR

Não é nada raro que as pessoas busquem a solução para um problema pontual ao iniciar um projeto ou ao trazer uma ideia para desenvolvimento. A frase “a necessidade é a mãe da invenção” é tão antiga quanto à atribuição dela à Platão e é assim que muitas ideias (e gambiarras) surgem mesmo: Se vira nos trinta, missão dada é missão cumprida, se existe uma forma de fazer algo, será feito. 

Mas porque nós deveríamos ajustar o nosso foco, pelo menos num primeiro momento, de forma a ampliar a nossa visão para além do ponto de dor? Bom, para que aquilo que queremos construir na nossa jornada seja mais do que uma invenção: seja inovação de verdade.

Invenção versus inovação

Primeiro vamos entender o que é invenção e como ela se difere da inovação. Segundo o Oxford Languages invenção é a “descoberta ou criação (decorrente de estudo ou experimento) de alguma coisa”. E aqui se encaixaria um novíssimo holograma descascador de batatas: Algo que [provavelmente] ninguém pensou antes e eu vou criar uma patente e dizer que foi minha invenção. Mas também é algo que, a priori, não muda a vida de ninguém. 

Meu holograma descascador de batatas não fará com que as pessoas adquiram novos hábitos e nem criará novos mercados por si só. Isso é um fato. E isso é importante porque é aqui que entra o conceito de inovação. 

Segundo Peter Drucker inovação é “a mudança que cria uma nova dimensão de performance”. Complementando com a definição de Joseph Schumpeter é algo que introduz ou combina algo já existente de forma comercial de forma a realizar a abertura de novos mercados (…), a conquista de novas fontes de abastecimento (…) e a realização de uma nova organização de qualquer indústria”. 

E o olhar holístico nisso?

Quando a gente considera as coisas por esse prisma a gente percebe que não basta focar no problema de “quero me divertir enquanto descasco batatas”. É preciso pensar em como as pessoas serão afetadas pelo que eu estou entregando e qual o valor dessa minha entrega para a mudança no pensamento, mudança nos hábitos, mudança nos processos e que a minha primeira entrega será o primeiro passo de uma caminhada inconformada pela mudança e aprimoramento. 

O olhar holístico nos ajuda a ver como aquela pequena mudança proposta pela nossa ideia inovadora vai influenciar o todo e trazer resultados melhores para a sociedade, para uma organização, ou um grupo de indivíduos.

Quando partimos de uma visão holística consideramos como a nossa proposta “do novo” é viável do ponto de vista econômico, o quão desejável, aplicável e ética ela é e as contribuições que ela trará.

Qualquer pessoa pode desenvolver uma visão ampliada visando a inovação. Profissionais com um bom background em design de serviço costumam ter um olhar bem treinado e um conjunto de boas ferramentas e métodos na manga para ajudar pessoas e organizações a manter-se em constante inovação. 

É muito do que fazemos hoje no CESAR. Entregar produtos e serviços inovadores que partem da visão do todo para gerar valor. Já pensou em tirar um tempinho pra conversar com a gente e ver como podemos contribuir para que você faça mais inovação? Entre agora mesmo em contato com um dos nossos consultores.

<FALE COM UM CONSULTOR>

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://www.cesar.org.br/wp-content/uploads/2018/08/IMG_9090-1.jpg);background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: initial;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 650px;}