CEOs: chegou a hora de agir

CEOs: chegou a hora de agir

É preciso liderar com transparência e realismo. Além de mostrar que estamos perto, mesmo longe.

Por Fred Arruda, Chief Executive Officer do CESAR

Em um momento como o que estamos vivendo, a tecnologia tem um poder de transformação enorme, e pode fazer muita coisa pela nossa sociedade e pelos nossos negócios. O certo é que tudo começa com mais humanidade. 

Por isso, em um contexto de pandemia, chegou a hora de reforçar a comunicação com os colaboradores, mostrar proximidade (mesmo à distância) e liderar com transparência e realismo. Nós, CEOs, precisamos estar presentes.  

Sabemos que a realidade de várias empresas é bem diferente da nossa. Temos amigos, parentes e conhecidos que dão depoimentos muito duros sobre os momentos de seus negócios. No caso do CESAR, tivemos a sorte de conseguir manter quase a totalidade dos negócios e contratos. Ainda assim, faz-se necessário o máximo de atenção.

Ao longo das últimas semanas, mais que nunca, temos experimentado o poder da comunicação: uma comunicação intensa e repetitiva, pois educar é um processo de repetição. E repetimos para que as pessoas entendam que, até aqui, seus empregos estão garantidos.

Para os gestores, é imprescindível observar esse momento através de quatro perspectivas: 

  • Pessoas: Como dar ao colaborador paz e conforto para conciliar as atividades de home office com as atividades do trabalho? Como confortá-lo diante da ansiedade provocada por tantas notícias ruins?
  • Equipes: Como manter a produtividade nesse contexto de mudanças e incertezas? Como manter as entregas com o já conhecido padrão CESAR de qualidade?   
  • Empresa: Como manter a saúde financeira da empresa diante de instabilidades e incertezas?
  • Sociedade: É hora de contribuir com outros ecossistemas, clusters, que estão passando por mais dificuldades. Precisamos pensar em uma sociedade mais humana, solidária, unida e menos gananciosa, com a distribuição correta dos bens. 

E aqueles negócios mais afetados com a pandemia?  É preciso ter serenidade para  enxergar dois ou três meses à frente. Entender se o seu negócio tem chances de retomar as atividades junto com o fim da pandemia ou se chegou a hora de buscar novas oportunidades. São dois caminhos distintos, mas ambos cheios de oportunidades, porque o modo startup e empreendedor de rodar uma empresa pede isso.

Para os negócios que continuam estáveis ou que podem crescer nesse período difícil da pandemia, o conselho é tomar cuidado com o marketing. Claro que devemos aproveitar as oportunidades. Mas é importante não explorar empresas mais afetadas, muito menos passar uma percepção de que sua empresa está se aproveitando da crise para levar vantagens desnecessárias. Mais do que nunca, é hora de mostrar cidadania. Esse é o papel do empresário que não está vivendo a crise como outros estão. 

As consequências da Covid-19 são incalculáveis e devastadoras em todo o mundo, tanto no aspecto humano quanto no econômico. Certamente, jamais voltaremos às nossas vidas cotidianas da mesma forma que antes. Mas passaremos a conviver com o que está sendo chamado de um “novo normal”. 

Infelizmente, ainda tem mais sofrimento pela frente. Viveremos mais semanas de muita dificuldade. Não estamos livres de casos difíceis com nossas famílias e amigos, muito menos nos nossos ambientes de trabalho. Esse sofrimento, de alguma forma, deve levar a grandes mudanças de comportamentos na sociedade. Aliás, é isso que esperamos. Mesmo que com dor, precisamos tirar um grande aprendizado disso tudo.

Por exemplo, perdemos o medo do home office. 

No CESAR, migramos toda a empresa para a operação 100% remota em dois dias e vimos que somos capazes de operar dessa forma. É evidente que as primeiras semanas apresentaram desafios e dificuldades, mas já começamos a entrar em um novo ritmo de normalidade. 

Em compensação, ganhamos outros medos. Acho que nunca tivemos tanto medo, nem tão próximos da morte. Dessa forma, começamos a valorizar mais as pequenas coisas do dia a dia. 

Que possamos sair dessa quarentena mais conscientes. Não existe vírus pior que o da ganância e da indiferença com o semelhante. Que esse possa ser o ínicio do fim de tanta injustiça social e de tanta desatenção com os menos favorecidos.

There are 2 comments
  1. Pedro Guimarães

    Fred,
    Excelente. Parabéns. Só gostaria de deixar aqui um link para a MP 927 de 22 de março 2020, a qual também trata do Teletrabalho nesse período. Tem alguns pontos de atenção para os empregadores observarem, só por precaução.
    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/Mpv/mpv927.htm

    Pedro Guimarães

  2. Delmário Cardoso de Albuquerque Júnior

    Caro Fred Arruda, parabéns pelo artigo muito bem elaborado e esclarecedor para este momento que atravessamos em nossas vidas.
    Quando falamos de gestão, principalmente falando de informação, temos que ter transparência e sermos realistas como você bem pontuou em seu artigo. Nestes tempos difíceis de distanciamento social, temos tantas informações incoerentes que desestabilizam a saúde emocional das pessoas que estão em casa e sofrem com a ansiedade, além é claro da famosa polarização política da população que só prejudica a saúde emocional.
    A iniciativa do Cesar de promover uma política de disseminação consciente da informação, baseada nas quatro perspectivas: Pessoas, equipes, empresa e sociedade é fundamental não só para o Cesar, mas também para todo o mercado Pernambucano, brasileiro e global. Pois as empresas precisam enxergar que a sua relação com seus colaboradores e com a sociedade, tem que ser baseada no ganha-ganha, mas sem transparência e realismo isso não acontecerá de forma sustentável.
    Assim, gostaria dar os parabéns ao Cesar como uma empresa coerente com o seu papel de promover a inovação de mercado, mas também como empresa que se reinventa constantemente, pois nesse novo mundo pós pandemia, todos teremos que nos reinventar como pessoas e como profissionais para darmos os próximos passos neste processo de evolução trazido por este vírus.
    Atenciosamente.
    Delmário Cardoso de Albuquerque Júnior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://www.cesar.org.br/wp-content/uploads/2018/08/IMG_9090-1.jpg);background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: initial;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 650px;}