O FUTURO PERTENCE AOS CRIATIVOS QUE EMPREENDEM

O FUTURO PERTENCE AOS CRIATIVOS QUE EMPREENDEM

São vários os lugares no mundo reconhecidos como “imãs” de gente, cada um com a sua vocação. Hollywood para o cinema, Wall Street para o setor financeiro e o Vale do Silício para tecnologia são lugares que podem ser definidos como hubs em um mapa-múndi, eles atraem atenção, pessoas e economias que apenas lá ganham escala.

No entanto, nem tudo apenas “acontece” como obra do acaso sem que exista uma série de elementos que estejam juntos e componham uma soma que é maior do que as partes. Para Brad Feld, um dos responsáveis por construir na cidade de Boulder-EUA um ecossistema de inovação, um hub tem que ser liderado pelos próprios empreendedores, agentes criativos e que tem as necessidades diante das restrições que lhe são impostas.

O próximo passo é ser inclusivo com quem quiser participar da comunidade. Os “maus” participantes tendem a ser excluídos ou isolados pela sociedade, comprometida com o longo prazo, que está sendo formada. Essa abertura é fundamental para a inovação surgir em qualquer lugar, sem barreiras para que possa ser ao menos descoberta.

Por último, espaços com eventos para engajamento dos atores do ecossistema é a forma de manter um hub vivo. Arquiteturas pervasivas e não burocráticas para o diálogo são essenciais para a autenticidade entre seus participantes. E assim, o futuro pertence aos criativos que empreendem!

Edemilson Dantas é analista de aceleração e trabalha no acompanhamento das empresas (startups) no CESAR.LABS.

Artigo publicado originalmente no Blog do CESAR.LABS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(https://www.cesar.org.br/wp-content/uploads/2018/08/IMG_9090-1.jpg);background-size: initial;background-position: top center;background-attachment: initial;background-repeat: initial;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 650px;}